Caos na Apicultura I

Caos na Apicultura I

Tem remédio para a Varroa?

Cada vez mais pessoas nos procuram, desesperadas, porque não conseguem comprar o tratamento para a varroa. Esta situação repete-se todos os anos em Fevereiro/Setembro e tem aumentado significativamente.

Se por um lado, nos enche de esperança o fato do número de novos apicultores estar a aumentar – vemos cada vez mais jovens e cada vez mais mulheres, por outro lado, preocupa-nos gravemente esta dificuldade de aceder a medicamentos essenciais para que as nossas abelhas sobrevivam. Ainda por cima são medicamentos homologados pelas entidades competentes. Apesar disso é obrigatória a prescrição de receita veterinária.

Medicamentos Uso Veterinário Abelhas

A alternativa é recorrer ás Associações de Apicultores, Cooperativas ou Organizações de Produtores. Neste caso já não precisamos da receita veterinária e, além disso, as associações conseguem vender os medicamentos a preço mais reduzido, uma vez que o estado comparticipa parte do valor do medicamento mediante candidatura apresentada ao PAN (Plano Apícola Nacional). 

Ora, o que é que acontece quando na nossa área não há nenhuma associação? E, se por acaso até existe, mas não nos possibilita escolher o tratamento que queremos utilizar, obrigando-nos a usar o que tem? E se nos vende o medicamento fora de validade? E se na altura em que realmente necessitamos já não tem (talvez porque outro apicultor comprou mais do que precisava para os vender depois no olx?    

Como a legislação atual não permite a venda destes medicamentos nas lojas da especialidade se não formos sócios e uma AP como é que fazemos? Compramos “por debaixo da mesa” tiras de cartão e tiras de esfregona sabe-se lá embebidas em quê? Vamos ao olx ou mandamos vir citrax da China?

É esta situação que nos preocupa realmente, porque está a empurrar alguns apicultores para o mercado negro e para a confeção de mezinhas caseiras que põem em risco todas as abelhas da área – até as que foram devidamente tratadas e, em última análise, podem até contaminar os produtos recolhidos das colmeias. Consideramos isto gravíssimo, quase perverso.

Uma das poucas coisas em que grande maioria dos apicultores concorda é que as nossas colónias tem que ser tratadas para controlar os níveis de varroa. É essencial para a saúde das nossas próprias colmeias e para todas as outras colmeias da nossa área. E se partirmos deste princípio, que o tratamento é essencial para a sua sobrevivência, deparamo-nos com esta contradição que não conseguimos perceber: se não tratarmos morrem e contaminamos toda a zona; queremos tratar e temos estas complicações em adquirir os medicamentos.

Percebemos que é necessário muita atenção, quando colocamos substâncias nas colmeias. Compreendemos que haja uma lista de medicamentos homolgados que devemos escolher de acordo com as nossas necessidades. O que nos ultrapassa é por que é que não estão disponíveis nem acessíveis a todos. O que nos preocupa é que esta situação leva a que estejam constantemente a rebentar “bombas de varroa” por esse país fora.

Bombas de varroa

Finalmente gostaríamos ainda de referir a questão do preço de cada medicamento que, na nossa opinião, deveria ser totalmente comparticipado. Mais, totalmente comparticipado e disponível diretamente ao apicultor, uma vez que se trata de uma questão vital para a saúde da Apicultura do nosso país. As nossas abelhas são agentes fundamentais da polinização da nossa flora. Não é só uma questão de apoio ao sector, ajuda aos apicultores, etc e etc… É uma questão fundamental para a sobrevivência de um animal que apesar de ser invisível para a maioria dos cidadãos é um pilar fundamental da biodiversidade portuguesa.

E agora temos de terminar porque entrou uma senhora aflita, que tem três colmeias, e está a perguntar: tem remédio para a varroa?

Close Menu
×
×

Cart